18:37, 4 nov 2020
Geral

Consumo das famílias palmenses tem leve queda em outubro

Notícia

Diferentemente dos meses anteriores que registraram aumentos consecutivos no índice geral da pesquisa que mede a Intenção de Consumo das Famílias de Palmas (ICF), outubro mostrou uma leve queda de 1,7 pontos, o que corresponde a uma variação mensal negativa de 2%. Neste mês, o índice geral da pesquisa ficou em 85,4 pontos. A pesquisa que é realizada mensalmente pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) em parceria com a Fecomércio Tocantins.

Dentre os itens que são questionados aos entrevistados, apenas dois registraram uma variação mensal positiva: perspectiva profissional (3,2%) e acesso ao crédito (5,3%).

No cenário nacional, a ICF cresceu ligeiramente em outubro (+0,9%) e subiu a 68,7 pontos. Foi o segundo aumento seguido do índice, que chegou a acumular cinco quedas consecutivas em agosto. Mesmo com as recentes altas, o indicador registrou o pior desempenho para um mês de outubro desde o início da série histórica, em janeiro de 2010. Além disso, no comparativo anual, houve recuo de 26,4% – a sétima retração seguida nesta base comparativa. A ICF está abaixo do nível de satisfação (100 pontos) desde abril de 2015.

O presidente da CNC, José Roberto Tadros, destaca que a recuperação do consumo dos brasileiros tem se refletido no aumento das vendas do varejo, nos últimos meses. “A maior satisfação das famílias reforça a evolução gradual, observada nos dados recentes do comércio”, afirma Tadros.

Voltando para a capital do Tocantins, os dados relacionados ao consumo em si não são positivos. 57% dos entrevistados disseram estar comprando menos atualmente quando comparado ao mesmo período do ano passado. Sobre a expectativa para os próximos meses, os números demonstram preocupação. A maioria, 44%, acham que o consumo nos próximos meses será menor, já 32,2% acredita que será igual e 20,2% que o consumo será maior.

Para o presidente do Sistema Fecomércio Tocantins, Itelvino Pisoni, o mês de outubro trouxe questionamentos. “Vinhamos de um crescimento constante nos últimos dois meses, em que acreditávamos ser o reflexo da retomada econômica, porém parece que outubro nos mostrou que devemos ser cautelosos e priorizar o fomento desse consumo, principalmente nas empresas locais. Estamos às vésperas de meses que trazem grandes datas para o varejo como a Black Friday e o Natal, com isso, esperamos que nos próximos meses possamos voltar ao ritmo de crescimento”, ressaltou.

(Ascom Fecomércio com colaboração da Ascom CNC)